Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras recebem o Espadim
Início do conteúdo da página

Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras recebem o Espadim

Publicado: Sábado, 17 de Agosto de 2019, 16h24

Resende (RJ), 17/08/2019 - Os cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) receberam neste sábado (17) o espadim, que faz parte do uniforme histórico deles e é o símbolo da honra militar.

A cerimônia de entrega da réplica reduzida do sabre de Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro, contou com a a presença de 411 militares (397 brasileiros e 14 de nações amigas, sendo 38 mulheres). Os jovens da Turma Bicentenário da Independência são pertencentes ao primeiro ano da AMAN.

Além dos familiares dos cadetes, o Presidente da República, Jair Bolsonaro, e o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, também prestigiaram o evento. Assim que chegaram à AMAN, ambos passaram em revista à tropa acompanhados do Comandante do Exército, General de Exército Edson Leal Pujol, do Comandante da AMAN, General de Brigada Gustavo Henrique Dutra de Menezes, e do Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General Augusto Heleno.

Em seguida, os cadetes desfilaram em homenagem ao Presidente da República. Houve salva de 21 tiros de canhão e Jair Bolsonaro assinou um livro histórico do Exército. Coube ao Comandante em Chefe das Forças Armadas presidir a cerimônia, no Pátio Tenente Moura, em Resende.

Ele destacou a responsabilidade que os jovens militares terão pela frente. “Meus cadetes, no futuro, vocês estarão nos nossos lugares. A responsabilidade os acompanharão por toda a vida. Assim como vocês, em 1974, eu também recebi o meu espadim”, lembrou.

Por outro lado, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, falou sobre o significado que é receber o espadim da Academia Militar das Agulhas Negras. “Significa que o futuro oficial do Exército Brasileiro se incorpora às fileiras da Força Terrestre, recebendo uma réplica do invencível sabre de Duque de Caxias”.

Em seu discurso, o Comandante da AMAN, General de Brigada Dutra, ressaltou a honra que é para o cadete protagonizar essa cerimônia. Ele recordou a importância de todos manterem firmes os valores ensinados na Academia.

“Sintam-se privilegiados de serem cadetes de Caxias. Lembrem-se, entretanto, que o sucesso particular e o êxito de todos nós juntos está perenemente vinculado aos valores militares, referenciais fixos e fundamentos imutáveis que influenciam o comportamento e a conduta de cada um de nós. Isso implica cumprir rigorosamente o nosso código de honra”

O primeiro colocado, do primeiro ano, da Turma Bicentenário da Independência foi o cadete Gabriel Bejarano Resende. O jovem, de 18 anos, que nasceu em Manaus, recebeu o espadim das mãos do Presidente da República.

Histórico e estrangeiros na AMAN


A cerimônia de entrega dos espadins aos cadetes é uma tradição desde 1932. As turmas costumam ser compostas por jovens de todas as regiões do Brasil. Neste ano, 56% do Sudeste; 18% do Sul; 13% do Centro-Oeste; 10% do Nordeste e 3% do Norte.

Dos 14 cadetes das nações amigas que estão cursando o 1º ano da AMAN, três são da Arábia Saudita; três de Camarões; um da Guiana; um da Guiné-Bissau; um de Honduras; dois do Panamá, um do Peru e dois do Vietnã.

Por Capitão-Tenente Fabrício Costa

Fotos: Marcos Corrêa/PR 

registrado em:
Fim do conteúdo da página