Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Rondonistas levam cidadania a moradores de 12 municípios do Acre
Início do conteúdo da página

Rondonistas levam cidadania a moradores de 12 municípios do Acre

Publicado: Terça, 09 de Julho de 2019, 14h30

Rio Branco, 09/07/2019 – Dicas para identificar, orientar e valorizar crianças e adolescentes que necessitam de atenção especial foram ministradas por rondonistas no município de Bujarí (AC). A atividade ocorreu, na segunda-feira (08), dando início à fase de oficinas da Operação Vale do Acre, do Projeto Rondon, que segue até 20 de julho.

Nesse pequeno município com população de cerca de 8 de mil habitantes, localizado no nordeste do estado, 20 estudantes e professores abrem mão do período de férias para desenvolver trabalhos voluntários que beneficiam os moradores locais. Em Bujarí, além da palestra sobre distúrbios de aprendizado, os rondonistas vão realizar atividades na área de saúde, como aferição da pressão e da glicemia, e ensinar trabalhos manuais.

Plateia formada por professores participa de palestra sobre distúrbios de aprendizagem

Na Escola Municipal Edmundo Pinto de Almeida, localizada no bairro de Rui Luno, em Bujarí, a estudante do 6º semestre de medicina Giovana Vianna, 24 anos, apresentou, em palestra aos professores, tipos de distúrbios de aprendizado e como identifica-los.

“Falamos sobre autismo, dislexia, transtorno de déficit de atenção, hiperatividade, ansiedade, alguns distúrbios que prejudicam o aprendizado das crianças’, enumerou a universitária.

A estudante de medicina destaca que a atuação dos professores é fundamental para identificação precoce desses problemas e para inserção adequada das crianças na sala de aula. “É preciso orientar as crianças sobre dificuldades, valorizar suas conquistas e tentar integrá-las no grupo”, ressaltou.

Professora Leudimara participa da oficina de aprendizado, em Bujarí

A coordenadora pedagógica e professora Leudimara Martins informou que a escola de Bujarí tem 25 crianças que precisam de atenção especial. Para ela, a palestra vai ajudar no planejamento direcionado a esses alunos. “A orientação é muito importante para gente, para escola, porque nos auxilia a como trabalhar com nossos alunos”, destacou.

Em Porto Acre, município localizado a 40 quilômetros da capital, Rio Branco, outra equipe de estudantes universitários e professores ministraram palestra com orientações e cuidados para prevenir diarreia e desidratação infantil.

Estudante de medicina ministra palestra sobre cuidados para evitar desidratação

Um dos palestrantes foi o maranhense Daniel Marinho, que está cursando último semestre de medicina em uma faculdade de Manaus (AM). O formando falou sobre ações simples de prevenção como lavar as mãos e manter o corpo hidratado com a ingestão de bastante água.

Daniel está na expectativa de concluir a faculdade de medicina e poder trabalhar com o que gosta: pessoas. Ele associa a futura profissão com o que está desenvolvendo no estado do Acre e diz sentir-se realizado com a experiência de participar da operação. “Você estar junto a pessoas que, apesar de ser de um lugar mais humilde, elas cooperam, são solicitas a você”, relatou.

Daniel Marinho associa a futura profissão com o que está desenvolvendo no estado do Acre

As iniciativas da Operação Vale do Acre ação ocorrem em 12 municípios acreanos e contam com a participação de 250 estudantes e professores de 25 Instituições de Ensino Superior (IES) de todo o país.

No sábado (13), terá início outra ação do Projeto Rondon. A operação João de Barro vai atender 12 municípios do Piauí e contará com a participação de 250 estudantes e professores universitários.

Somando as três ações realizadas neste ano, a primeira foi no mês de janeiro, mais de 800 estudantes e professores de 80 instituições de ensino superior estão envolvidos em trabalhos voluntários pelo Projeto Rondon.

Foco

Após reeditado, em 2005, o Projeto Rondon está focado em capacitar possíveis multiplicadores de conteúdo nas áreas de saúde, educação, direitos humanos e justiça, cultura, trabalho, meio ambiente, tecnologia e produção e comunicação. A iniciativa é coordenada pelo Ministério da Defesa (MD). O coordenador do projeto no MD, Coronel Alexandre Scholtz, esclarece que a finalidade do projeto é “contribuir com a formação cidadã do estudante universitário e com desenvolvimento sustentável de comunidades carentes”.

“Viemos trazer um pouco de conhecimento e também aprender na prática o que vocês vivenciam no dia a dia”, declarou o estudante Leonardo Caria aos professores e à comunidade. Ele também cursa medicina e foi um dos palestrantes na escola do município.

Nos últimos 12 anos, mais de 22 mil rondonistas participaram do projeto atendendo aproximadamente 2 milhões de pessoas em cerca de 1,2 mil municípios.

Projeto Rondon

Desenvolvido com o apoio das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), responsáveis por proporcionar o suporte logístico e a segurança necessários às operações, o Projeto Rondon tem ainda a cooperação das Instituições de Ensino Superior (IES), dos Governos Estaduais e das Prefeituras Municipais.

A iniciativa teve início em julho de 1967 com a Operação Piloto ou Operação Zero. À época, o projeto contou com a participação de 30 alunos e dois professores da Universidade do Estado da Guanabara, hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. A operação teve duração de 28 dias e foram desenvolvidas atividades de levantamento, pesquisa e assistência médica no Território Federal de Rondônia.

Por Lane Barreto

Fotos: Tereza Sobreira

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Fim do conteúdo da página