Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > 4º Seminário de Monitoramento Integrado está com inscrição aberta
Início do conteúdo da página

4º Seminário de Monitoramento Integrado está com inscrição aberta

Publicado: Sexta, 10 de Maio de 2019, 17h36

Porto Velho, 10/05/2019 – Estão abertas as inscrições para o 4º Seminário de Monitoramento Integrado com Radar Orbital, que será realizado de 18 a 19 de setembro, Porto Velho (RO). O seminário vai debater o uso de tecnologia que permite observar a superfície terrestre através das nuvens em períodos de clima fechado. Essa é a primeira vez que Porto Velho recebe um evento da área.


O seminário faz parte do Projeto Amazônia SAR, realizado pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam). Também estão abertas as inscrições para submissão de trabalhos científicos (posters) que serão apresentados durante o evento.

“O Seminário de Monitoramento Integrado com Radar Orbital é uma oportunidade de disseminar o uso de imagens radar no monitoramento florestal e outras aplicações”, afirma Péricles Cardim, diretor de produtos do Censipam.

O evento deve contar com a participação de diversas instituições da Região Norte e também pesquisadores de agências espaciais e empresas estrangeiras. O público-alvo são gestores públicos e privados, comunidade científica, especialistas e representantes de órgãos federais, estaduais e municipais com atuação na Amazônia.

Imagens de radar
O seminário faz parte do projeto Amazônia SAR, que desenvolveu sistema para combate ao desmatamento na Amazônia em períodos que anteriormente se tinha dificuldade de acesso, principalmente na época de chuva.

O trabalho do Censipam complementa o monitoramento realizado por sistemas óticos, que não conseguem ver através das nuvens. O radar orbital do projeto Amazônia SAR emite pulsos de rádio, que geram imagens SAR. O termo SAR vem do inglês Synthetic Aperture Radar, que significa Radar de Abertura Sintética.

Utilizada para monitorar cerca de 950 mil km2 por mês, a tecnologia não depende da luz do sol e tem a vantagem de ultrapassar a barreira de nuvens, permitindo a detecção do desmatamento no período chuvoso, que se estende de outubro a abril.

Com base nas imagens do radar, o Censipam envia alertas para órgãos de fiscalização, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Acesse o site do seminário.

Por Willian Cavalcanti

Fotos: divulgação Censipam

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Fim do conteúdo da página