Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Pesquisadores apresentam resultados dos projetos sobre Segurança Internacional e Defesa Nacional
Início do conteúdo da página

Pesquisadores apresentam resultados dos projetos sobre Segurança Internacional e Defesa Nacional

Publicado: Sexta, 30 de Novembro de 2018, 16h44

Brasília, 30/11/2018 – O seminário de encerramento da 1ª edição do Programa Álvaro Alberto ocorreu de 27 a 29 de novembro, no Ministério da Defesa. A iniciativa visa fomentar a pesquisa acadêmica por meio da seleção de projetos sobre temas relevantes para inserção internacional do Brasil e a gestão da defesa nacional.

Após três anos de pesquisa, os responsáveis pelos 10 projetos selecionados puderam apresentar os resultados para uma comissão de avaliação. Todos foram alinhados em duas frentes de pesquisa principais: entorno estratégico e economia de defesa. O programa é desenvolvida por meio de parceria entre o Instituto Pandiá Calógeras e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

"Esse trabalho entre civis e militares nos dá um visão diferente. Que nós consigamos estabelecer novas pesquisas", afirmou o brigadeiro Amaral

Essa primeira chamada abriu edital em 2014 para induzir à pesquisa em segurança internacional e defesa nacional. Os projetos selecionados começaram a serem implementados no ano seguinte. Para acompanhamento e avaliação das propostas aprovadas ocorreram três eventos, sendo dois parciais e um final.  No seminário de encerramento, ao fim de cada dia, foram organizadas mesas redondas, mediadas por representantes do Ministério da Defesa, para discussão dos temas apresentados.

Durante abertura do evento, o secretário-geral do Ministério da Defesa, brigadeiro Carlos Augusto Amaral, destacou a importância da integração que a iniciativa promoveu. “O assunto defesa não é responsabilidade dos militares, pelo contrário, é da sociedade brasileira, ela tem que dimensionar o que quer sobre o assunto em todos os aspectos, tem que ser uma relação”, afirmou.

Para o diretor do Instituto Pandiá Calógeras, Joanisval Brito Gonçalves, as apresentações ultrapassaram as expectativas. “São pesquisas aplicadas muito relevantes para o país. Todos mostraram a importância do diálogo. Conhecimento quanto mais transmitimos, mais recebemos”, enfatizou.  A diretora de Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e sociais do CNPq, Adriana Tonini, também esteve no evento para representar o diretor do órgão. 

"Cartografia temática da defesa brasileira e seu entorno estratégico”, desenvolvido pelo professor doutor Rubens de Siqueira, foi um dos trabalhos apresentados. Ele trabalhou como coordenador executivo do tema e contou com  mais 12 autores. Em três anos, o grupo produziu o projeto do Atlas da Política Brasileira de Defesa. "Foi meu primeiro contato com o tema. Não tínhamos estudos sobre e quando tinha procurávamos algo internacional. Com esse investimento há como discutir. Conseguimos produzir conhecimento brasileiro e podemos debater nossos problemas e não ficar tentando adaptar", comentou.

Rubens também apontou a importância de inciativas que fomentam pesquisas no país. “Se não tiver financiamento, a gente não produz. A ciência e tecnologia no Brasil existe e é viva, precisamos manter. Sem pesquisa não tem futuro", defendeu. O download do atlas está disponível de forma gratuita na internet.

Por Júlia Campos

Fotos: Keven Cobalchini/MD

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

registrado em:
Fim do conteúdo da página