Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > DDM apresenta resultados e metas para o desporto militar
Início do conteúdo da página

DDM apresenta resultados e metas para o desporto militar

Publicado: Quinta, 10 de Maio de 2018, 13h39


Brasília, 10/05/2018 - O diretor do Departamento de Desporto Militar (DDM) do Ministério da Defesa, general Jorge Antonio Smicelato, apresentou, na quarta-feira (09), em Audiência Pública Extraordinária na Câmara dos Deputados, as principais ações e metas para os programas sociais do Ministério da Defesa, em apoio ao desporto nacional e às ações sociais. A reunião foi uma iniciativa dos deputados Alexandre Valle (PR) e Evandro Roman (PSD).

Na ocasião, o general destacou que, este ano, os atletas integrantes do Programa de Alto Rendimento (PAAR) irão participar de 16 campeonatos Mundiais Militares, dentre eles o 24º Campeonato Mundial Militar de Taekwondo e o 38º Campeonato Mundial Militar de Judô, que serão realizados no Rio de Janeiro.“Tudo isso é acertado de forma que nossos atletas realizem uma preparação. É um objetivo intermediário para os Jogos Olímpicos de 2020”, destacou o general Smicelato.

O diretor do Desporto Militar relembrou dois Campeonatos Mundiais realizados em 2017, com a participação de atletas de alto rendimento, e o Brasil obteve o primeiro lugar: o 2º Campeonato Mundial Militar de Vôlei de Praia e 49º Campeonato Mundial Militar de Natação.



Atualmente, as Forças Armadas contam com 630 atletas militares de alto rendimento. A meta para os próximos dois anos, segundo o general Smicelato, é manter o país entre as três potências mundiais militares desportivas e ter uma representação de 160 atletas militares dentro da delegação brasileira para as Olimpíadas de Tókio, em 2020.

Nos Jogos Olímpicos de 2016, houve a participação de 145 atletas militares e das 19 medalhas obtidas, 13 foram dos integrantes do PAAR. O general ressaltou o objetivo da iniciativa. “O Programa não é protagonista dos resultados obtidos, pelo contrário, é um programa complementar que visa apoiar as confederações e os clubes. Queremos dar segurança, inclusive financeira, para que os atletas possam se dedicar exclusivamente ao desporto”, apontou.

Programas sociais

Na apresentação, o general Smicelato expôs os objetivos do Programa Forças no Esporte (PROFESP), que são: melhorar a cidadania, a qualidade de vida e promover o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Hoje, o Profesp tem participação em 96 municípios dos estados brasileiros e Distrito Federal. Aproximadamente 23 mil e 500 alunos são atendidos em todo país. A meta, nos próximos dois anos, é ampliar parcerias  e atingir 30 mil alunos pelo Brasil.

“Nós colocamos à disposição nossa infraestrutura, mas dependemos de recursos para esta ampliação. Não há como retirar recursos orçamentários das Forças Armadas para conduzir o projeto. Por isso, aproveito a ocasião e peço o apoio parlamentar para estas ações”, explicou o general. O programa custa aproximadamente R$ 54 milhões por ano e, dentre as dificuldades em mantê-lo, está o pagamento de professores e a manutenção das instalações.

O programa Sargento João do Pulo, outra iniciativa do Ministério da Defesa, foi instalado para promover a valorização pessoal e promover a integração social por meio do esporte.

É voltado para militares que adquiram deficiência física ao longo de suas carreiras, mas, o intuito é ampliar a atuação para a comunidade em geral. “Já temos um projeto piloto somente voltado para militares e pretendemos estender uma parceria entre Ministério do Esporte, Comitê Paralímpico Brasileiro, Ministério da Educação, Ministério da Saúde, Ministério do Desenvolvimento Social”, pontuou Smicelato.

O deputado Alexandre Valle, presidente da Comissão de Esporte conduziu a audiência. Ele agradeceu a presença dos militares e elogiou os projetos e resultados obtidos. “Nós precisamos fazer mais e estar mais próximos. Este trabalho precisa ser feito em mais bairros e em mais comunidades e eu não vou medir esforços, enquanto presidente da Comissão e enquanto parlamentar, para buscar emendas para que esses projetos sejam ampliados”, concluiu.

Por Mariana Areias

Fotos: Tereza Sobreira/MD

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071



Fim do conteúdo da página