Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Navio Vital de Oliveira inicia coleta de dados no Espírito Santo
Início do conteúdo da página

Navio Vital de Oliveira inicia coleta de dados no Espírito Santo

Publicado: Sexta, 27 de Novembro de 2015, 08h50

Vitória (ES), 27/11/2015 - O navio hidroceanográfico Vital de Oliveira, da Marinha do Brasil, deu início nesta quinta-feira (26) à coleta de dados da água e do solo do mar do Espírito Santo. A missão, feita pela Marinha a pedido do governo do Estado, visa angariar material para análise dos danos que poderão ser causados pelos rejeitos de mineração – que têm altas taxas de materiais pesados – que chegaram ao mar após a ruptura da barragem da Samarco, na última semana.

Foto: Divulgação MD
A missão visa angariar material para análise dos danos que poderão ser causados pelos rejeitos de mineração
A missão visa angariar material para análise dos danos que poderão ser causados pelos rejeitos de mineração

Os pesquisadores que estão na embarcação têm como objetivo fazer uma avaliação preliminar, de forma mais rápida, das condições atuais do ecossistema, baseada em alguns parâmetros como temperatura, salinidade, organismos pequenos presentes na água, sedimentos do fundo do mar, dentre outros. “Tentamos cobrir o maior número de parâmetros possíveis para buscar fazer uma caracterização robusta e confiável do ecossistema que foi atingido pelos resíduos da barragem”, explica o chefe científico da equipe e pesquisador do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), Lohengrin Fernandes.

Foram dois os aparelhos utilizados: o MVB (Perfilador com Navio em Movimento) - que permite a coleta de dados sem a necessidade de a embarcação estar parada -, e o CTD Rossette, que coleta água em diferentes camadas e profundidades. “Temos os melhores equipamentos do mundo e uma série de pesquisadores próximos à foz do Rio Doce. E vamos buscar fazer um mapa detalhado dos danos da água atingida, saber para onde os resíduos estão caminhando, e se a lama tóxica está deixando de avançar”, reforçou o capitão-de-fragata Aluízio Maciel de Oliveira Júnior.

A primeira fase de coleta de dados será realizada até o dia 30 de novembro, quando o navio Vital de Oliveira volta ao Porto de Vitória (ES).

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4070

registrado em:
Fim do conteúdo da página