Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Esporte > Projeto Atletas de Alto Rendimento
Início do conteúdo da página

Programa Atletas de Alto Rendimento

Com o objetivo de fortalecer a equipe militar brasileira em eventos esportivos de alto nível, o Ministério da Defesa em parceria com o Ministério do Esporte criou, em 2008, o Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento às Forças Armadas Brasileiras.

O alistamento é feito de forma voluntária e o processo de seleção leva em conta os resultados dos atletas em competições nacionais e internacionais. Dessa forma, as medalhas já conquistadas na carreira transformam-se em pontuações nos concursos para preenchimento das vagas.

Programa inclui 42 modalidades: boxe, caratê, atletismo, canoagem slalom, escalada esportiva, basquete, canoagem velocidade, esgrima, ciclismo de estrada, futebol feminino, futebol masculino, ciclismo mtb, golfe, hipismo, cross country, judô feminino, judô masculino, ginástica artística, levantamento de peso, maratonas aquáticas, handebol masculino, wrestling, natação, maratona, nado sincronizado, paraquedismo, orientação, pentatlo naval, pentatlo militar, pentatlo aeronáutico, remo, pentatlo moderno, tiro com arco, saltos ornamentais, tiro esportivo, salvamento aquático, tiro shotgun, taekwondo, triatlo, vela, vôlei, vôlei de praia.

Os atletas têm à disposição todos os benefícios da carreira, como soldo, 13º salário, férias, direito à assistência médica, incluindo nutricionista e fisioterapeuta, além de disporem de todas as instalações esportivas militares adequadas para treinamento nos centros da Marinha (Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes - CEFAN), do Exército (Centro de Capacitação Física do Exército e Complexo Esportivo de Deodoro) e da Aeronáutica (Universidade da Força Aérea - UNIFA).

Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Ministério da Defesa ultrapassou as metas estabelecidas, ao classificar 145 atletas militares e conquistar 13 medalhas, das 19 obtidas pelo Time Brasil. Os números foram superiores a Londres, em 2012.

A contribuição das Forças Armadas para esse sucesso foi de 68% dos pódios. Os medalhistas brasileiros que integram o Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) do Ministério da Defesa se destacaram nas competições.

À luz dos resultados obtidos nesta edição dos Jogos Olímpicos, o Ministério da Defesa já trabalha no ciclo de 2016 a 2020, visando os Jogos Mundiais Militares de 2019, na China e os Jogos Olímpicos de 2020, no Japão.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página