Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Esporte > Projeto Atletas de Alto Rendimento > Jogos Mundiais Militares
Início do conteúdo da página

Jogos Mundiais Militares

Jogos Mundiais Militares China/Wuhan 2019

Em outubro de 2019, em Wuhan, China, serão realizados os VII Jogos Mundiais Militares do CISM. O Brasil participará com aproximadamente 400 atletas que competirão por medalhas em 31 modalidades.

As equipes militares brasileiras, com o apoio da Comissão Desportiva Militar do Brasil (CDMB), das Comissão de Desportos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e das Forças Singulares, estão em plena fase de planejamento e de preparação, quer no campo logístico e administrativo, quer no campo do treinamento intensivo. Essa ação tem implicado na participação de inúmeros grupos de trabalho, visitas, reconhecimentos, análises de risco e uma gama diversa de atividades, voltadas a garantir um melhor desempenho de nossa delegação, bem como na participação em inúmeras competições nacionais e internacionais, com a finalidade de permitir que nossos atletas estejam no ápice de sua performance nos Jogos.

Foi estabelecido como objetivo da delegação brasileira para esses próximos Jogos Mundiais Militares a manutenção do Time Militar Brasil, ao final da competição, entre as três maiores potências desportivas militares entre todas as nações que integram o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM).


Jogos Mundiais Militares Coreia/Mungyeong 2015

Cerimônia de Abertura dos 6º Jogos Mundiais Militares

Em outubro de 2015, em Mungyeong, Coreia do Sul, ocorreram os VI Jogos Mundiais Militares do CISM, um dos maiores eventos desportivos que aquele país já sediou. Oriundos de 110 países, aproximadamente 8.700 atletas competiram por medalhas em 24 modalidades.

O Brasil ficou em segundo lugar no cômputo geral da competição, totalizando 84 medalhas conquistadas: 34 de ouro, 26 de prata e 34 de bronze. Na modalidade de natação, a 3º Sargento Etiene Medeiros, da Marinha do Brasil, subiu ao pódio em seis oportunidades, sendo a atleta a realizar o feito mais vezes na competição. O 3º Sargento Henrique de Souza Martins, do Exército Brasileiro, também da natação, foi o terceiro atleta a ganhar mais medalhas nos Jogos, tendo conquistado três medalhas de ouro e três de prata.

Os Jogos Mundiais na Coreia consolidaram a posição do Time Militar Brasil como uma das três maiores potências desportivas militares do mundo.

O desempenho da equipe militar brasileira naqueles Jogos foi fundamental para o êxito da equipe olímpica brasileira nos Jogos Olímpicos Rio 2016, quando o militares viriam a conquistar 13 das 19 medalhas nacionais.


Jogos Mundiais Militares Brasil/Rio 2011

Em julho de 2011, o Brasil sediou, no Rio de Janeiro, os 5° Jogos Mundiais Militares – Rio 2011. Cerca de 4.200 atletas de 114 países participaram do evento, organizado a cada quatro anos pelo Conselho Internacional de Esportes Militares (CISM) . 

Prestigiado pelo público, que compareceu às competições, os Jogos ficaram marcados como uma grande festa verde-amarela. Na disputa justa e leal de 628 medalhas em 20 modalidades esportivas, os atletas brasileiros conquistaram 45 medalhas de ouro, 33 de prata e 36 de bronze, o que rendeu ao país o primeiro lugar histórico no quadro geral de medalhas. 

Além da lealdade demonstrada ao longo das disputas, os atletas militares deram reiteradas amostras de garra e superação. Ao longo dos Jogos, foram obtidos 23 novos recordes – seis deles na natação, modalidade que converteu o brasileiro Gabriel Mangabeira na grande estrela individual dos Jogos. Maior medalhista da competição, Mangabeira conquistou cinco ouros e uma prata para o Brasil. 

O nadador não esteve sozinho. Ao longo das competições, o Brasil foi representado por 268 atletas que disputaram todas as 20 modalidades dos jogos: atletismo, boxe, basquete, esgrima, futebol, hipismo, judô, natação, pentatlo moderno, taekwondo, tiro, triatlo, vela, vôlei, vôlei de praia, orientação, paraquedismo, pentatlo naval, pentatlo militar e pentatlo aeronáutico.

Fim do conteúdo da página