Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Áudios > Projeto do Ministério da Defesa mapeia mais de 70% do vazio cartográfico da Amazônia
Início do conteúdo da página
Áudios

Projeto do Ministério da Defesa mapeia mais de 70% do vazio cartográfico da Amazônia

Publicado em Sexta, 18 de Março de 2016, 17h51 | Voltar à página anterior


Duração: 1'41" | CONFIRA O ÁUDIO ANEXO

17/03/2016

REPÓRTER: Conhecer o imenso território da região amazônica é algo fundamental para proteger o País, assegurando a soberania nacional. Nesse sentido, a cartografia, atividade voltada a elaboração de mapas e estudos de uma determinada região, tem grande importância porque serve como base para planejamento de uma série de ações. Atento a isso, o Ministério da Defesa, por meio do Censipam - Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia – realiza um trabalho que já mapeou mais de 70% do chamado “vazio cartográfico da Amazônia”. Essa região é chamada assim porque representa uma área de quase dois milhões de quilômetros quadrados que, até então, não contava com informações cartográficas terrestres. O diretor-geral do Censipam, Rogério Guedes, explica a importância das informações coletadas.

SONORA: diretor-geral do Censipam, Rogério Guedes: Serve para o planejamento urbano, planejamento da exploração da região de uma maneira mais adequada. Então, é a matriz, a base de dados serve como matriz para tudo isso. Como está focado esse projeto para a parte náutica, geológica e terrestre, obviamente, a parte náutica trata dos rios, serve para definir, mapear mais claramente os rios amazônicos, serve tanto para a proteção e para segurança da navegação, quanto para o desenvolvimento econômico, na medida em que ajuda a construção de hidrovias, por exemplo.

REPÓRTER: O levantamento engloba a elaboração de cartas náuticas, mapeando os principais rios navegáveis da região. As informações ajudarão, ainda, na ampliação do conhecimento sobre a Amazônia Brasileira e na geração de informações estratégicas para monitoramento de segurança e defesa nacional, em especial, nas regiões de fronteira.

Reportagem: Marina Mello

registrado em:
Fim do conteúdo da página