Acessibilidade
Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Anistia > Uncategorised > Entrevista - Luciano Ponce Carvalho Judice
Início do conteúdo da página

Entrevista - Luciano Ponce Carvalho Judice

 

Brasília, 8/12/2016 - O capitão de Mar e Guerra, Luciano Ponce Carvalho Judice foi o primeiro colocado na categoria “Mestrado de IES Militar”. A dissertação dele foi sobre “A Defesa Proativa da Amazônia Azul e a Área Estratégica do Pré-sal”. A dissertação do capitão Ponce pode ser conferida em alguns capítulos do livro “A Defesa do Ouro Negro da Amazônia Azul” escrito por ele e pelo capitão de Fragata, Charles Pacheco Piñon.

Confira, abaixo, trechos da entrevista dada pelo capitão Ponce à Comunicação Interna do Ministério da Defesa:

Foto: 1° Ten Maurilio Kelly/MD

Qual foi a sua reação ao receber o resultado do Concurso e como é ter alcançado o primeiro lugar?

Luciano Ponce: Foi uma satisfação muito grande saber da notícia pelo colega de mestrado, Prof. Ítalo Pesce, que também foi agraciado no concurso. Sinceramente, percebi que com este reconhecimento meu trabalho poderia ser útil à Marinha e ao MD.

Qual a maior dificuldade para o desenvolvimento do seu trabalho?

Luciano Ponce: Um fenômeno moderno, que não é privilégio brasileiro, que cunho como "açodamento digital". Vivemos numa sociedade de big data que demanda respostas rápidas, e que dá muito valor ao acúmulo de informação, mas nem sempre privilegia o esforço analítico voltado para prática do interesse nacional. Mas toda atividade humana, inclusive a guerra, como já dizia Clausewitz, tem suas fricções inerentes, e a inovação pela via acadêmica é um desafio intelectual da sociedade contemporânea do conhecimento.

Qual a importância em falar sobre Defesa Nacional?

Luciano Ponce: Numa alegoria simples há muito já engendrada, ninguém bem relacionado em sua comunidade dorme com a porta da casa aberta. Da mesma forma, no ambiente internacional cada vez mais complexo e dinâmico, o Brasil não pode descuidar de aspectos defensivos, e a história não favorece os incautos, vide os torpedeamentos de nossos navios mercantes que ocorreram na Segunda Guerra Mundial, com perda de preciosas vidas de compatriotas.

Qual o principal ponto que você gostaria de destacar em seu trabalho?

Luciano Ponce: É um trabalho que leva o Brasil Marítimo a sério, e deslinda um novo arquétipo de defesa proativa de ativos estratégicos marítimos, que correspondem, praticamente, a metade da energia que alimenta o nosso país nesse início de século XXI, notadamente óleo e gás

Que dica você daria para quem deseja participar do próximo concurso?

Luciano Ponce: Se inscreva com intenção reta e pense no que você pode dar ao Brasil. Da mesma forma que fui incentivado pelos pares, orientador, e amigos a parar um pouco e me apresentar ao certame, concito os jovens oficiais e demais pesquisadores de defesa a se apresentar ao concurso com espírito de serviço.

Por Débora Sampaio

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Fim do conteúdo da página