Acessibilidade Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página Principal > Notícias > Missões de Paz: Painel da ONU é encerrado com debate sobre questão de gênero
Início do conteúdo da página

Missões de Paz: Painel da ONU é encerrado com debate sobre questão de gênero

Publicado: Terça, 31 de Março de 2015, 17h49

Salvador, 31/03/2015 – Terminou na tarde desta terça-feira (31), em Salvador (BA), o Painel Independente de Alto Nível sobre Operações de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU). Um dos temas abordados foi “Mulher, Paz e Segurança: Desafios e Recomendações para Operações e Missões Políticas Especiais”. 

Foto: Jorge Cardoso
A discussão sobre a questão de gênero foi abordada no último dia do painel da ONU
A discussão sobre a questão de gênero foi abordada no último dia do painel da ONU

Para a diretora da Rede de Segurança e Defesa da América Latina, Marcela Donadio, “todos os peacekeepers têm que apreciar a questão de gênero. Não é só incorporar mulheres”. De acordo com ela, atualmente apenas 3% do efetivo das tropas em missões de paz é composto por militares do sexo feminino. No entanto, Marcela vê o índice como um avanço, já que há dez anos o número era de 1,5%.

As discussões da mesa foram embasadas na Resolução 1325, da ONU, que exige a participação das mulheres na construção da paz, a proteção das violações dos direitos humanos e a promoção do acesso à justiça e aos serviços para enfrentar a discriminação. “As próprias mulheres não querem ser tratadas diferente ou com privilégios”, sentenciou a diretora.

Já a coordenadora do Programa de Cooperação Internacional do Instituto Igarapé, Eduarda Passarelli Hamann, alertou que gênero e mulheres são usados, erroneamente, como sinônimos. “Você não precisa ser mulher para falar sobre o tema. Todos podem ser agentes de mudança neste sentido.”

A partir de levantamento feito em janeiro deste ano, Eduarda apresentou dados que mostram a participação feminina nas operações das Nações Unidas. Ao todo, no Brasil, as Forças Armadas possuem cerca de 23 mil mulheres  e apenas 19 delas em missões. A coordenadora acredita que a solução para transformar esse quadro é aliar treinamento e educação.

Também nesta terça-feira os integrantes do evento assistiram à mesa de conferência sobre “Prevenção de conflitos, mediação, processo e construção da paz: a intensificação da cooperação e eficácia”.

Ideias e sugestões surgidas no painel serão encaminhadas a ONU para subsidiar a atualização do manual para missões usado por todos os países que possuem profissionais atuando em atividades de manutenção da paz. O evento contou com representantes de 17 países da América Latina e Caribe.


Por Marina Rocha


Assessoria de Comunicação
Ministério da Defesa
61 3312-4071

registrado em:
Assunto(s): peacekeepers , onu , missões de paz
Fim do conteúdo da página