Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Indústria de defesa

Projetos estratégicos da Marinha

Publicado em Sexta, 21 Março 2014 17:26 | Última atualização em Segunda, 19 Maio 2014 17:07

A ilustração abaixo traz alguns dos principais projetos estratégicos de defesa conduzidos pela Marinha do Brasil. Clique no nome de cada projeto para saber mais a respeito da iniciativa.

Programa Nuclear da Marinha

Descrição:

O Programa Nuclear da Marinha, iniciado em 1979, está dividido em dois grandes projetos: o domínio do ciclo do combustível nuclear e o Laboratório de Geração Núcleo-Elétrica (Labgene).

O Brasil já domina o ciclo de produção do combustível nuclear. A Marinha inaugurou, em fevereiro de 2012, a Unidade Piloto de Hexafluoreto de Urânio (Usexa), última etapa para o domínio pleno do ciclo.

O Labgene tem o propósito de desenvolver a capacidade tecnológica para o projeto, construção, operação e manutenção de reator nuclear do tipo PWR (Pressurized Water Reactor) que será empregado na propulsão do primeiro Submarino Nuclear (SN-BR) a ser construído no Brasil.

Importância Estratégica:

O Programa Nuclear da Marinha dará ao Brasil capacidade técnica para o projeto, a construção e operação de plantas núcleo-elétricas de tecnologia nacional. A energia gerada por essas plantas poderá ser utilizada tanto para a propulsão de meios navais, como os submarinos SN-BR, de propulsão nuclear, quanto para a alimentação de redes elétricas urbanas e rurais.

Principais Benefícios:

  • Fomento da Indústria Nacional de Defesa;
  • Arrasto tecnológico;
  • Domínio de tecnologia sensível;
  • Capacitação e aprimoramento de mão de obra;
  • Desenvolvimento de planta núcleo-elétrica de emprego dual.

Cronograma de Execução:

A conclusão do Laboratório de Geração Núcleo-Elétrico (Labgene) está prevista para julho de 2016.

Construção do Núcleo do Poder Naval

Descrição:

O projeto de construção do Núcleo do Poder Naval pretende ampliar e modernizar a capacidade operacional da Marinha do Brasil. O plano, elaborado a partir da Estratégia Nacional de Defesa (END), se estrutura na aquisição e distribuição de material, navios e instalações da Marinha.

O Núcleo do Poder Naval é formado por programas que têm o propósito de expandir e modernizar a Força Naval. Dentre eles está o desenvolvimento de submarinos convencionais e de propulsão nuclear (Prosub) e a construção de um estaleiro e base naval. Também está prevista a construção de Navio-Aeródromo (Pronae), de Navio-Anfíbio (Pronanf), de Meios de Superfície (Prosuper) e a produção de navios-patrulha de 500 toneladas e de corvetas Classe Barroso.

Importância Estratégica:

O projeto garantirá a ampliação da capacidade de emprego do Poder Naval para a salvaguarda dos interesses nacionais nas áreas marítimas de responsabilidade do País.

Principais Benefícios:

  • Geração de empregos diretos e indiretos;
  • Capacitação e aprimoramento de mão de obra;
  • Transferência de tecnologia;
  • Fomento da Indústria Nacional de Defesa;
  • Domínio de tecnologia sensível.

Cronograma de Execução:

Alguns projetos da Construção do Núcleo do Poder Naval já estão em andamento. Como resultado, dois navios-patrulha de 500 toneladas foram incorporados à frota da Marinha. Em março de 2013, foi inaugurada a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (Ufem), parte importante do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub). Em 2017, deverá entrar em operação o primeiro dos quatro submarinos convencionais no âmbito desse mesmo projeto.

Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz)

Descrição:

O Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz) consiste em um conjunto de sistemas que tem como objetivo ampliar a capacidade de monitoramento e controle das águas jurisdicionais e das regiões de busca e salvamento sob responsabilidade do Brasil.

A Amazônia Azul é um conceito que designa os espaços marítimos brasileiros, uma área de aproximadamente 4,5 milhões de quilômetros, correspondente, em tamanho, à Amazônia terrestre.

O projeto abrange a utilização de satélites, radares e equipamentos de sensoriamento submarino para monitorar o mar territorial brasileiro. A estrutura integrará redes de informação e de apoio à decisão.

Importância Estratégica:

O SisGAAz atende as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, na medida em que se organiza sob a égide do trinômio monitoramento/controle, mobilidade e presença. Sob esse aspecto, o sistema aumenta a capacidade de resposta a eventos que representam uma ameaça para a vida humana, segurança, economia e meio ambiente.

Principais Benefícios:

  • Amplo espectro de uso, com possibilidade de emprego civil e militar (aplicado, por exemplo, na prevenção da poluição das águas, na previsão meteorológica e controle da pesquisa científica no mar);
  • Emprego no combate às “novas ameaças”, como o tráfico ilegal de entorpecentes;
  • Possibilidade de operação com outros sistemas, tais como Sistema de Vigilância de Fronteiras (Sisfron) e o Sistema de Defesa Aérea Brasileira (SDAB).

Cronograma de Execução:

Em 2013, foram elaborados os Requisitos de Alto Nível de Sistema, para que as empresas do setor de defesa apresentem suas propostas para análise pela Marinha do Brasil.

Fim do conteúdo da página